quarta-feira, 22 de abril de 2009

Viagem ao passado...

...estava eu a pensar, quando, numa tempestade de ideias me lembro que antigamente este chocolate se chamava RAIDER.

A PROVA! eis quando me começo a lembrar de COISAS... comprava uma destas (com os pacotes grandes dava para encher a boca e fazer bolas do tamanho de casas). Claro que as melhores eram as gorila de laranja e as de morango...

Os lindos flocos de neve...

E as chiclets que roubava da mala da minha mãe...
Petazetas para encher a boca e rezar para um daqueles bocados GRANDES não estalasse com muita força (e ficar de boca aberta, claro, caso contrário não se ouvia o barulho!)
Estes lembro-me que comia quando ia ao cinema. Os "diamantes" faziam salivar que se fartavam!
...e cantávamos "suguinhos, suguinho, colam-se aos dentinhos!" (meter um de cada sabor na boca ! hmmmm!)
A bela "bomboca dji morango", que ainda hoje quando a encontramos compramos logo uns caixotes!
No lanche da primária, mas principalmente na praia; pegava na palhinha do capri-sonne DE MAÇÃ, e já com a mania que era rebelde, espetava-a na parte de baixo do pacote! YEAH!
E as festas? Lições 100? Havia sempre 1 que levava as tortas Dancake. Se fosse de chocolate, era um instantinho a desaparecer, se fosse de morango, demorava um bocadinho mais, mas também marchava, agora se fosse aquela de baunilha... Qual mp3, quais gigas! As belas mixtape gravadas da rádio, ainda com restos da voz dos parvos dos apresentadores dos programas que insistiam em falar por cima da música!
eh pá! Tulicreme! E ainda antes de terem inventado o parvo do urso! O de cacau era maravilhoso, o de avelã bem podia ficar na prateleira do supermercado.

E estes? Lembram-se onde saíam?

"Toma lá, e não gastes tudo em gomas!" - Ouvi muitas vezes também.

Atiravamos com isto para todo o lado. Até ficarem todos sujo, cheios de pêlos e cotões e pó e cabelos (sim, ficavam, não podem negar!) Mas era fantástico porque depois, só com um bocadinho de água e sabão, ficavam outra vez reluzentes e prontinhos para voltarmos a atirá-los aos móveis, ao tecto, ao chão, á cabeça dos nossos colegas...:P

e as modas? esta era mesma parva. E feia. Mas na mesma percorri kms para a encontrar e comprar.
"Pró natal, o meu presente, eu quero que seja..." A minha agenda e o Natal. Isto só me faz lembrar do Natal dos Hospitais e de quanto eu queria pertencer ao Coro de Sto Amaro de Oeiras.
E no verão... o frigorífico cheio de fás, que nós chupávamos até o gelo ficar sem cor.

Bem, que viagem.

4 Comentários:

Observador disse...

Bombocas e flocos de neve.

Gravador/emissor. Coisas que o profissionalismo não deixou esquecer.

E por "cem paus" o que se comprava...

Pois é, Vera.

marco marques disse...

ou eram nos bolicaus ou nos donuts, mas faltam ai as pastilhas piratas e o olá popsi, e a coisa que mais saudade me deixou, aqueles globos de vidro sobre uns suportes metalicos vermelhos em que se trocavam moedinhas por amendoins pequeninos mas mto doces, descascados mas ainda com a pele vermelha, adorava isso
depois substituiram os amendois por pastilhas que eram uma verdadeira bosta e por fim substituiram tudo por aquelas parvas maquinetas de bolas com lixo dentro que os putos nos obrigam a comprar
porque é que os amendoins não voltam??? decerto que ficavamos todos mais felizes...
ja sei, a asae não deixa, pois, essa era uma que não existia e podiamos comer de tudo e ng morria nem ia parar ao hospital
e cadeirinhas no carro? qual quê? era tudo á solta, as vezes até no porta bagagens iamos, quantos de nós morremos de acidente? ng se acusa, pois mortos não falam ,mas tb só iam estragar o comentario
belos tempos

Vera disse...

Bons tempos!! Vale a pena reviver...

Anónimo disse...

Que bons velhos tempos...Recordar é viver... Bjokas :) (Ana)